Wednesday, December 10, 2008

Beijo sem Nome, de Ana Paula Lavado



Quando te disse que era da terra selvagem do vento azul e das praias morenas...
Do arco-íris das mil cores, do sol com fruta madura e das madrugadas serenas...
Das cubatas e musseques, das palmeiras com dendém,
das picadas com poeira, da mandioca e fuba também...

Das mangas e fruta pinha, do vermelho do café,
dos maboques e tamarindos, dos cocos, do ai u'é...

Das praças no chão estendidas com missangas de mil cores,
os panos do Congo e os kimonos, os aromas, os odores...

Dos chinelos no chão quente, do andar descontraído,
da cerveja ao fim da tarde, com o sol adormecido...

Dos merengues e do batuque, dos muxiques e dos mupungos,
dos embondeiros e das gajajas, da macanha e dos maiungos...

Da cana doce e do mamão, da papaia e do cajú...


Tu sorriste e sussurraste...
-
Sou da mesma terra que tu!

3 comments:

Cacusso said...

Fabuloso.
Vou incluir este belissimo poema no meu sítio caso não haja qualquer inconveniente.
Belíssimo trabalho que vem sendo feito e que... discretamente tenho acompanhado com vivo entusiasmo.
Obrigado.

CBugarim said...

Obrigada, caro amigo pelos elogios ao meu blog.
Tento fazer o melhor que sei e trazer o que sensibiliza o meu coração e retalhos dos meus dias passados na terra mãe.
De longe, sigo também o teu blog cheio de Angola nas linhas e entrelinhas.
Transcreve o que quiseres, nem precisas pedir.
Um abraço até aí. Tudo de bom para ti.

Humana said...

Olá Ana,
vi o seu poema num site a que pertenço, o "Noticias de angola" e achei maravilhoso.Pedi ao meu amigo que o tinha se podia dizer-me a quem pertencia e se o podia publicar no meu blog.Ele disse que lho tinham enviado mas tb nao sabia quem o tinha escrito.
Acabei por publicá-lo dizendo que desconhecia o autor.
Uma Kaluanda chamada Régi fez o favor de me deixar o seu nome e cheguei aqui.Espero que não se importe que o tenha publicado e terei muito gosto na sua visita.
O seu blog já está nos meus favoritos e vou linká-lo.
Beijinhos desta patricia e muitos parabéns!Ana Casanova